Hoje não tem graça nenhuma.*

*O título do post é uma frase “roubada” da crônica “Insensatez”, do Antônio Prata.

Estava vendo as notícias… Trágico eu acho pouco para descrever a situação das vítimas da região serrana do Rio. Eu choro a cada entrevista, a cada imagem, a cada palavra tão dolorida que sai da boca de cada uma daquelas pessoas que, agora, estão desconsoladas. Perderam-se casas, móveis, eletrodomésticos, famílias inteiras. Vidas inteiras. Sonhos que foram conquistados com tanta dedicação, com tanto trabalho, desceram morro abaixo, literalmente. Gente que perdeu mais de 10 pessoas da família. Mães que perderam filhos. Filhos que perderam os pais. Crianças que foram dormir e não viram o dia nascer.
As cenas são tão impressionantes que me remetem a um filme cheio de efeitos especiais. Mas é vida real. Aliás, poderia ser qualquer um de nós ali. Já pensaram nisso?
Um abraço enorme para todas as pessoas que, agora, só precisam de um carinho, mesmo que venha de tão longe. Um abraço também para a Dani e a Giza, do Esmaltólodras, que estão lá, vendo tudo pessoalmente.

Quem quiser ajudar, acredito que as unidades do Corpo de Bombeiros de cada cidade estejam recolhendo donativos. Estão precisando de tudo, tudo, tudo.

😦

Anúncios